The Donald promises that as President, the White House will be the yugest, classiest place on the planet

🔥 | Latest

Donald Trump, Instagram, and Kim Jong-Un: INSTAGRAM COM/UNIVERSOTECH Coreia do Norte se diz pronta a atacar EUA a qualquer momento Pyongyang provocou alarme mundial em 4 de julho quando testou seu primeiro míssil balístico intercontinental, que segundo especialistas poderia atingir o Alasca. Depois do teste, os Estados Unidos pressionaram a Organização das Nações Unidas para que adotasse medidas mais duras contra Pyongyang. No total, a ONU impôs seis pacotes de sanções contra a Coreia do Norte desde que o país testou pela primeira vez um dispositivo atômico, em 2006, mas duas resoluções aprovadas no ano passado endureceram significativamente estas medidas. No entanto, até agora, a estratégia dos Estados Unidos, tanto do governo de Donald Trump como do de Barack Obama, não deu frutos. Apesar de um fortalecimento das sanções internacionais e da pressão da ONU sobre a China, o regime de Kim Jong-Un continuou com seus programas militares balísticos e nucleares. Na última semana, a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, indicou que progressos nos diálogos com Pequim podem resultar em novas sanções "bastante duras" contra a Coreia do Norte. O corte no abastecimento de petróleo, a proibição da entrada de trabalhadores da Coreia do Norte na China, assim como a imposição de novas restrições aéreas e marítimas a Pyongyang seriam algumas dessas medidas.
Donald Trump, Instagram, and Kim Jong-Un: INSTAGRAM COM/UNIVERSOTECH
 Coreia do Norte se diz pronta a atacar
 EUA a qualquer momento
Pyongyang provocou alarme mundial em 4 de julho quando testou seu primeiro míssil balístico intercontinental, que segundo especialistas poderia atingir o Alasca. Depois do teste, os Estados Unidos pressionaram a Organização das Nações Unidas para que adotasse medidas mais duras contra Pyongyang. No total, a ONU impôs seis pacotes de sanções contra a Coreia do Norte desde que o país testou pela primeira vez um dispositivo atômico, em 2006, mas duas resoluções aprovadas no ano passado endureceram significativamente estas medidas. No entanto, até agora, a estratégia dos Estados Unidos, tanto do governo de Donald Trump como do de Barack Obama, não deu frutos. Apesar de um fortalecimento das sanções internacionais e da pressão da ONU sobre a China, o regime de Kim Jong-Un continuou com seus programas militares balísticos e nucleares. Na última semana, a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, indicou que progressos nos diálogos com Pequim podem resultar em novas sanções "bastante duras" contra a Coreia do Norte. O corte no abastecimento de petróleo, a proibição da entrada de trabalhadores da Coreia do Norte na China, assim como a imposição de novas restrições aéreas e marítimas a Pyongyang seriam algumas dessas medidas.

Pyongyang provocou alarme mundial em 4 de julho quando testou seu primeiro míssil balístico intercontinental, que segundo especialistas pode...